Cuidados

Muitas pessoas acreditam que os cuidados durante a cicatrização não fazem a menor diferença na tatuagem, e tem essa opinião baseada no fato de que algum amigo que fez e não cuidou não teve problema nenhum (ou até eles mesmos).

Na vida, tudo evolui – inclusive os cuidados! Complicações durante o processo de cicatrização são o segundo motivo mais comum que ocasionam retoques – o que pode levar à perda de pigmentos mesmo que tenham sido bem inseridos da Pele.

A limpeza adequada da pele e o uso do aftercare (pomada própria para a tatuagem) durante a cicatrização, cuidam da manutenção das cascas que são fundamentais para o sucesso da cicatrização. Para cuidados com a alimentação, clique aqui.

Existem 3 recomendações básicas:

1 – faça a assepsia (limpeza) do local pelo menos 3 vezes ao dia com um sabonete de pH neutro (prefira os sabonetes líquidos) e limpe com lenço de papel sem fazer muita pressão.

2 – use um produto adequado que hidrate MUITO a sua pele, auxilie na cicatrização, previna cascas grossas e ressecadas. Evite coçar o local e cuide de maneira saudável da pele lesionada.

3 – NÃO entre no mar nem na piscina, não exponha a tatuagem ao sol, não vá à sauna, não use roupas que apertem a área recém-tatuada, não malhe a região tatuada (se tatuou os braços, você pode pedalar, por exemplo). Malhar a região recém-tatuada durante a cicatrização pode causar a ruptura das fibras elásticas, ocasionando estrias irreversíveis

Tatuagem e academia – Durante o procedimento da tatuagem, as agulhas perfuram as fibras de colágeno e elastina da pele, tornando-as facilmente rompíveis. Elas ficam “enfraquecidas” e qualquer esforço realizado podem causar o seu rompimento, provocando estrias no local da tatuagem. Por isso, deve-se evitar a prática de exercícios durante todo o período de cicatrização (28 dias), pois as estrias são irreversíveis. E, claro, usar produtos que auxiliem na cicatrização (aftercares). Então, se você tatuou a panturrilha, precisa ficar sem andar de bike por algum tempo. Se tatuou as costas, terá que evitar a malhação nessa região.

Plástico filme – quando se oclui a pele excessivamente com o uso prolongado do plástico filme, as células se desorganizam, se afastam, e o exsudato que deveria ser expelido nas primeiras horas após a tatuagem pode fazer o caminho inverso, penetrando na pele criando um ambiente ideal para a proliferação de micro-organismos – e nesse caso, se não for feita uma limpeza ideal da pele, o risco de infecção é ainda maior. Vale ressaltar que Produtos muito oleosos como pomadas para assadura ou produtos feitos de petrolato ou óleo mineral – usados indevidamente para cicatrização, podem ter o mesmo efeito do plástico filme (por isso chamados de “plástico mole”). Os produtos muito oleosos criam um “filme” em cima da pele e são inclusive difíceis de tirar. Esse filme é formado pelo óleo mineral – que é um petrolato e acaba ocluindo a pele da mesma forma que o plástico pvc. Ideal é evitar os seguintes nomes na composição das pomadas: PETROLATUM, PARAFFINUM LIQUIDUM e MINERAL OIL.

Nunca utilize esses produtos em conjunto com plástico filme. As cascas precisam se formar para que haja a cicatrização e o uso desses produtos e do plástico evitam essa formação. O plástico não evita a formação de cascas, ele retarda o aparecimento delas – o que é prejudicial para a cicatrização da pele.

Exsudato – é um líquido clarinho (por vezes transparente) que sai da tatuagem (ou mesmo de qualquer ferida na pele) e desempenha um papel importantíssimo no processo de cicatrização. Quando você faz uma tatuagem (machucado), abre caminho para que bactérias ataquem aquele local. Ao tatuar, uma das primeiras ações do organismo é enviar àquela área um exército de células brancas de defesa para combater infecções – algumas morrem (assim como algumas células da pele que ficaram destruídas quando você se feriu) e o exsudato serve como meio de transporte para essas células. Esse fluido também contém nutrientes e proteínas essenciais à reparação do tecido lesionado, além de prevenir que a região ferida fique muito ressecada, o que poderia retardar o fechamento da lesão.

Alergias – alergia após se tatuar pode ser decorrente de inúmeros fatores, como: alimentação, ingestão de medicamentos, reação a determinada cor de pigmento, uso de produtos inadequados durante a cicatrização (que contenham petrolatos e/ou parabenos em sua composição), dentre outros.  Para a sua exata identificação costuma ser necessária a realização de testes cutâneos específicos. Por isso, todo cuidado é bem-vindo durante o período de cicatrização da pele.

Sintomas de alergia – inchaço, placas vermelhas, coceira permanente, descamação, bolinhas na tatuagem. Podem aparecer numa parte ou em toda tattoo. Se notar, pode ser indicação de que está acontecendo uma alergia. Se isso acontecer, conta pra mim – mas mais importante é procurar um dermatologista – já que o controle nesse caso é feito com medicamentos específicos. As reações alérgicas podem começar leves e se agravarem, então é importante cuidar – uma vez uma reação alérgica pode prejudicar a tatuagem.

Coceira – está diretamente ligada à falta de hidratação, causa irritação na pele. Também está ligada à criação de cascas do processo de cicatrização – deve-se utilizar pomadas próprias (aftercare), nada de hidratante comum.

Retoque – a necessidade de retoque pode acontecer com qualquer um, até mesmo com profissionais consagrados e experientes. A tatuagem é um procedimento que exige não só conhecimento, técnica e uma habilidade quase cirúrgica – e mesmo tendo tudo isso, não há garantia de que o resultado fique perfeito. Então cuide o máximo que puder!

As informações fornecidas nesta página são anotações minhas de pesquisas e workshops.