Alimentação

Existe muita polêmica sobre cuidados após a tatuagem e muitos acreditam não haver necessidade de nenhum cuidado “pré” tattoo. Decidi criar esta página com os cuidados “IDEAIS” que se devem ter ao fazer uma tatuagem – mesmo que praticamente ninguém siga todos eles, estamos falando do melhor cuidado possível!

Este texto é baseado em minha experiência, conversas com dermatologistas e médicos e no workshop que participei de “Anatomia, e fisiologia e cicatrização da pele”. Para cuidados não relacionados à alimentação, veja clicando aqui!

É muito comum ouvir alguém dizer “tem que evitar alimentos remosos” – então, antes de mais nada, vamos entender o que são e o porque da expressão.

O que são alimentos Remosos ?

Antigamente, era uma expressão utilizada para generalizar todo tipo de alimentos em que as pessoas que os consumiam, passavam mal, tinham alergias ou dores de barriga, por exemplo. Eles interferem nos processos de cicatrização e são contraindicados para pessoas com ferimentos, em período pós-operatório, mulheres grávidas e que estão amamentando. Exemplo: castanhas, manga, pequi, crustáceos, mariscos, entre alguns outros – e que devem ser evitados não só antes mas principalmente durante o processo de cicatrização.

Veja abaixo os alimentos mais citados numa sessão de tatuagem com o famoso “posso comer?”:

  • Chocolate – o cacau em si é muito bom para a pele e tem vários benefícios, porém, quando o consumo é de chocolate ao leite é que começam os problemas. Este tipo de chocolate tem muito baixo teor de cacau, misturado com açúcar e muito leite – que são alimentos mais inflamatórios. O ideal é que tanto antes quanto depois da tatuagem o chocolate consumido seja acima de 70% de cacau. Pode utilizar cacau em pó no lugar de achocolatados e etc.

O leite, principalmente o de vaca, também pode provocar respostas inflamatórias devido à presença da lactose (o açúcar do leite) ou das proteínas (especialmente a caseína e betalactoglobulina). – Citação da Revista Saúde

  • Carne de porco – é mais inflamatória e alergênica. Antes da tatuagem é bom evitar pelo menos 7 dias e só voltar a consumir quando a tattoo estiver 100% cicatrizada (28 dias). Carne de porco está na salsicha, linguiça, presunto e etc. Os embutidos em particular ainda são repletos de sódio e gorduras saturadas, que favorecem a retenção de líquido, dificultando a eliminação das toxinas do organismo e agravando a inflamação, que pode levar a uma cicatrização exagerada.

Cortes bovinos muito gordurosos e a carne suína em geral têm um potencial inflamatório muito elevado, produzindo os mesmos efeitos de agravamento da lesão e favorecimento de uma super cicatrização. – Trecho retirado de MedPrev

  • Bebidas alcoólicas – inibem o hormônio antidiurético – a pessoa desidrata mais. A pele, independente da tatuagem, fica melhor quanto mais hidratada for. Se o consumo de álcool for reduzido antes da tatuagem, o cliente chegará com uma pele mais hidratada no dia da sessão e a resposta do organismo vai ser melhor à pigmentação. Por ser rico em açúcar, prejudica o fígado, além de ser um alimento inflamatório – durante a cicatrização provoca desidratação e inflamação.
  • Camarão – O exoesqueleto do camarão é rico em quitosana, um polissacarídeo (açúcar) que a princípio contribui para a cicatrização ao promover a coagulação do sangue e estimular a produção do colágeno. Porém, também possui a tropomiosina (uma proteína – principal desencadeador de reações alérgicas ao camarão). Outras proteínas do camarão que podem desencadear uma reação alérgica incluem a arginina quinase e a hemocianina.
  • Alimentos termogênicos – utilizados para aumentar a temperatura corporal e estimular o metabolismo. Exemplos: cravo, canela, gengibre, etc. Quando cortamos o dedo por exemplo, a área machucada fica vermelha e quente – esse calor indica que há um processo inflamatório naquele local. Quando se faz uma tatuagem, a pele é agredida, o que estimula o processo inflamatório – calor. Se houver um consumo de alimentos termogênicos, a inflamação pode se agravar. Deve-se optar por chás gelados, água fresca, alimentos mais leves para abaixar a temperatura corporal.
  • Refrigerantes – são compostos de químicos e quase não possuem nutrientes. As versões diet ou light só diferem na quantidade de açúcares mas continuam com muitos químicos. O teor de açúcar e a presença de diversos aditivos alimentares aumentam a inflamação no corpo.
  • Suco de caixinha – muitos ainda tem muito açúcar – uma opção melhor para substitui-los é um suco de uva integral e acrescentar água com gás por exemplo, para ficar mais parecido com um refri. A uva é anti-inflamatória e antioxidante. Melhor ainda do que beber o suco é consumir a fruta – quando bebemos um copo de suco de laranja por exemplo, estamos consumindo de uma só vez o equivalente a 5 laranjas por exemplo. O corpo recebe uma quantidade muito grande de açúcar, o q favorece a inflamação , aumento de gordura no figado e aumento de glicose. Os melhores sucos são de frutas menos doces, como acerola, maracujá e limão.